Yoga theory applied

Application and adaptation of yoga techniques and philosophy

Viniyoga Lusófono 21 a 37          Viniyoga Lusófono 1 a 20  >

Viniyoga Europe nº 37 € 4.00

 

(40 pages) 

CRESCER A CADA DIA

A evolução pessoal interessa a todos aqueles que participam na dinâmica do yoga. Com a ajuda de diversos meios, procuramos ligar-nos de forma mais aguçada e intensa à vida que há em nós e à nossa volta.

Por Marie-Claire Dumont

BRAHMACARYA, A GESTÃO DA ENERGIA

Ou como um termo desliza do seu primeiro significado, “a procura do sagrado”, até ao sentido restritivo que se lhe dá hoje, “abstinência sexual”.

Por François Lorin

AQUILO QUE DESLOCA MONTANHAS

Existe alguma condição indispensável para uma pessoa poder ou querer empenhar-se na via do yoga? Como explicar que certas pessoas tenham resultados importantes com a prática do yoga e outras não, ou que certas pessoas progridam rapidamente e outras muito lentamente?

Traduzido da revista “Viveka”

DO GROSSEIRO AO SUBTIL: Os exercícios de purificação da Hatha-Yoga-Pradîpikâ

Os exercícios de purificação do hatha-yoga (os kriyâ) exerceram e por vezes ainda exercem uma fascinação no público desprevenido, mas que lugar devemos lhes atribuir? E há reservas em relação à sua utilização?

 Por Uwe Bräutigam

VINIYOGA OU COMO TRATAR A MENTE: Âsana, Prânâyâma, Bhâvana (Primeira parte)

Os exercícios posturais (âsana), o controlo respiratório (prânâyâma) e as atitudes mentais (bhâvana) que os acompanham oferecem meios privilegiados para restabelecer um equilíbrio comprometido e apaziguar uma mente perturbada.

O fim do segundo capítulo do Yoga-Sûtra fornece indicações preciosas para uma aplicação terapêutica do yoga, apresentando o segundo e terceiro membros do yoga (âsana e prânâyâma).

Por Claude Maréchal, com a colaboração de Élisabeth Wieczorek

A SEQUÊNCIA DE ÂSANA

Na sequência de âsana, a combinação bem ajustada de posturas simétricas e assimétricas favorece um trabalho integrado de todas as partes do corpo, o que suscita uma reorganização e harmonização do tónus corporal.

Podemos combinar estas duas grandes categorias de posturas de muitas maneiras, com vista a realizar explorações interessantes do corpo e beneficiar dos seus efeitos.

Por Claude Maréchal

 YOGA-SÛTRA II.4 e 5

 Os tormentos (klesha), causas do sofrimento, são cinco (avidyâ, asmitâ, râga, dvesha e abhinivesha). Os diferentes aspetos de avidyâ, mal-entendido, ignorância e confusão, são o suporte, o terreno, que nutre as klesha. Avidyâ transforma a realidade das coisas e conduz-nos infalivelmente ao sofrimento (duhkha).

 Comentários pelo Professor Shri T. Krishnamacharya; apresentação e explicações: TKV Desikachar

 O MEDO E O OM NO YOGA-SÛTRA

 Desikachar responde a perguntas sobre a fonte da aflição mais profundamente enraizada no homem (abhinivesha – a angústia) e sobre o OM no Yoga-Sûtra.

 

 

Viniyoga Lusófono nº 36                                                       € 4.00

 

(39 páginas)

O ASHTÂNGA-YOGA

A via do yoga implica caminhar para a nossa origem e para isso precisamos de um veículo. Este veículo somos nós mesmos, com os nossos limites, dificuldades, conflitos e imperfeições…

 O ensino do yoga propõe um desenvolvimento integral onde é preciso definir as nossas prioridades, isto é, determinar em que domínio(s) vamos começar a trabalhar sobre nós mesmos.

por François Lorin 

 AO LUAR: Âsana na Hatha-Yoga-Pradîpikâ (Primeira parte)

 A Hatha-Yoga-Pradîpikâ é certamente um dos textos cujo nome é mais familiar entre os praticantes de yoga.

 O primeiro capítulo deste texto trata de âsana e é fundamental. A fim de render justiça à importância da Hatha-Yoga-Pradîpikâ convém também dissipar os mal-entendidos.

Por Uwe Bräutigam

 
 A SEQUÊNCIA DE ÂSANA IV (sequências invertida e sentada)
 
Uma sequência de âsana apresenta uma forma particular resultante da presença de posturas da mesma natureza. 
Neste artigo, vamos abordar a construção e a função da sequência “invertida” e da sequência “sentada”.
Neste artigo, vamos abordar a construção e a função da sequência “invertida” e da sequência “sentada”.
 
Por Claude Maréchal
 
YOGA PARA MULHERES GRÁVIDAS

Contrariamente ao que alguns pensam, a prática do yoga traz benefícios consideráveis à mulher grávida: isto é assegurado pelos textos antigos e provado por séculos de experiência.
 Mas, claro, a prática deve ser adaptada ao estado e às necessidades da futura mamã e convém respeitar algumas precauções.
 
Por T.K.V. Desikachar

 
AS QUATRO ORIENTAÇÕES DA VIDA
 
Entre as componentes essenciais do ser humano, uma das mais importantes é a determinação das suas tendências em matéria de orientação da sua vida. A procura do dever, do prazer, do “ter ou poder” ou da paz interior colaboram ou confrontam-se. O yoga pode ajudar a clarificar, ordenar e ajustar.
 
 Por Claude Maréchal, com a colaboração de Elisabeth Wieczorek

 
YOGA-SÛTRA (II.3)
 
 “O kriyâ-yoga conduz à redução das klesha”, diz Patanjali. Mas quais são essas “klesha” e em que consistem? É a estas questões que este aforismo e os seguintes respondem.
 

Comentários pelo Professor T. Krishnamacharya; apresentação e explicações: T.K.V. Desikachar 

 

Viniyoga Lusófono nº 35 € 4.00

 (40 páginas)

 A SEQUÊNCIA DE ÂSANA (III)

 Uma sequência de âsana pode apresentar uma forma particular pela adição de um número importante de posturas da mesma natureza. A sua função e efeitos estão ligados à sua construção.

 A primeira parte deste artigo apresenta uma sequência em pé e um deitada.

 Por Claude Maréchal

 PARA UMA INTEGRAÇÃO DO YOGA E DA FISIOTERAPIA

 Uma evolução lenta conduz-nos do corpo grosseiro ao corpo subtil, passando pelos meandros da mente; em algumas páginas aqui estão as reflexões pessoais de um fisioterapeuta.

 Por Michel Renard

 PARA A CORREÇÃO DE UMA CIFOSE

 Com a idade, pelas preocupações ou por outras razões, a parte superior da coluna vertebral tende a se comprimir e a se curvar exageradamente: é o que se chama a cifose dorsal. Felizmente o yoga possui uma série de ferramentas eficazes para prevenir e lutar contra esta patologia.

 Por Francine Lincé

DESDE A MAIS TENRA IDADE 

 O yoga para crianças ainda está sujeito a controvérsia no Ocidente. Alguns pensam que a prática pode afetar o desenvolvimento mental e físico da criança.

 Outros avisam contra o risco de as crianças praticarem yoga na puberdade. No extremo, alguns temem ainda que o yoga possa apaziguar as crianças a ponto de as fazer perder todo o interesse pelos estudos.

 T.K.V. Desikachar

 SUA SANTIDADE O DALAI-LAMA

 T.K.V. Desikachar encontrou Sua Santidade o Dalai-Lama de passagem por Madrasta. Ficamos contentes de poder apresentar a sua troca de ideias.

 Encontro com T.K.V. Desikachar

 YOGA-SÛTRA (II.2)

 Patanjali a presentou o kriyâ-yoga no primeiro aforismo do segundo capítulo. Aqui ele expõe os frutos desse yoga da ação purificadora.

 Comentários pelo Professor Shri T. Krishnamacharya; apresentação e explicações: T.K.V. Desikachar 

 

Viniyoga Lusófono nº 34 € 4.00

 (40 páginas)

YOGA E BEM-ESTAR

Por iniciativa do Viniyoga Itália, Chandra Cuffaro entrevistou T.K.V. Desikachar.

Por Chandra Cuffaro

A SEQUÊNCIA DE ÂSANA

A escolha da intensidade certa da sequência permite abordar a experiência da postura de forma mais precisa.

A intensidade é de ordem física, respiratória e mental. Três exemplos, limitados ao nível do esforço físico puro, ilustram diferentes níveis de intensidade: leve, médio e intenso.

Por Claude Maréchal

CADA UM COM AS SUAS POSSIBILIDADES

As mesmas dores não têm necessariamente as mesmas causas. De resto, sendo cada pessoa diferente, as soluções devem ter em conta a atividade, os desejos e as possibilidades de cada um.

Por T.K.V. Desikachar 

PARA LÁ DOS PARES DE OPOSTOS

A prática das posturas (âsana) e das respirações (prânâyâma) são certamente duas chaves-mestras do yoga. Patanjali ensinou que o domínio físico gera o domínio dos extremos, e que o domínio do sopro produz um estado para lá de todas as técnicas…

Este artigo propõe-nos algumas pistas a explorar para, talvez, vislumbrar estas realidades que o Yoga-Sûtra nos expõe.

Por Égon Dohmen 

YOGA-SÛTRA (II.1)

O kriyâ-yoga é ao mesmo tempo um preliminar do yoga, um yoga de purificação e um yoga de ação cotidiana. Tal é a sua importância. Sublinhamos que Patanjali nos apresenta este ensinamento essencial na abertura do seu capítulo sobre o “caminho”.

Comentários pelo Professor T. Krishnamacharya; apresentação e explicações: T.K.V. Desikachar 

 

Viniyoga Lusófono nº 33 € 4.00

(40 páginas)

YOGA, TRADIÇÃO E EXPERIÊNCIA 
 
Este breve apanhado das tradições indianas restitui o yoga ao seu contexto vivo e atual, para tentar compreender porquê e como ele ainda interessa tanta gente hoje em dia, na Índia e no mundo.
Por T.K.V. Desikachar
 
NÃO HÁ UM MESMO REMÉDIO PARA TODOS
 
Mesmo se duas pessoas dão o mesmo nome à sua afeção, as causas ou a situação podem ser diferentes. Por isso, evitem as receitas já preparadas!
Por T.K.V. Desikachar
 
A SEQUÊNCIA DE ÂSANA
 
A postura só encontra a sua verdadeira dimensão quando se integra num conjunto bem ordenado: a sequência de âsana. A forma como as âsana se preparam mutuamente, se adicionam e se compensam determina a harmonia e a eficácia da sequência e obedece a certas regras. Este primeiro artigo enuncia as regras mais fundamentais (vinyâsa-krama).
Por Claude Maréchal
 
PRÂNÂYÂMA
 
As técnicas fundamentais de controlo do sopro (prânâyâma) são: ujjâyî, anuloma ujjâyî, viloma ujjâyî, pratiloma ujjâyî, nâdî shodhana e shîtalî. 
Estes exercícios respiratórios têm como objetivo harmonizar e concentrar a energia vital (Prâna) no interior do corpo.
Por Claude Maréchal, com a colaboração de Sylviane Gianina
 
SOU DISPERSA (mas estou a tratar-me)
 
Durante uma boa parte da noite nevou e parece que vai durar. Retirando a espessa camada branca que disfarça o meu carro, ponho-me a medir como o trânsito promete ser lento esta manhã! Não estou verdadeiramente adiantada…
Por Frederique Martinet
 
YOGA-SÛTRA  I.51
 
Eis-nos no fim do primeiro capítulo do Yoga-Sûtra, no aforismo que exprime a perfeição no yoga.
Segundo o ponto de vista do Professor T. Krishnamacharya, esta é também a situação onde o yogin está em contacto permanente e total com Îshvara.
Comentários pelo Professor T. Krishnamacharya; apresentação e explicações: T.K.V. Desikachar
 
O SÂMKHYA-KÂRIKÂ - DA ORDEM E DO MÉTODO
 
O Sâmkhya, um dos seis pilares do pensamento da Índia clássica, é indissociável do yoga, do qual representa um pouco o fundamento teórico. A ligação é tão forte que um praticante de yoga sério não pode ignorar completamente este outro “ponto de vista”.

Por Bernard Bouanchaud 

 

Viniyoga Lusófono nº 32 € 4.00

(39 páginas)

HASTINISHADANA

Hastinishadana, a “postura do elefante”, não faz parte das posturas mais fundamentais; sem dúvida é por isso que é menos conhecida. 

Como adhomukha-shvânâsana, a “postura do cão de cabeça para baixo”, com a qual partilha muitas características, ela situa-se entre as posturas em pé e as posturas invertidas. 

Por Frans Moors

SEQUÊNCIA PRÁTICA: HASTINISHADANA

 Hastinishadana, a postura do elefante, é bastante exigente. Ela requer uma boa preparação do alto do corpo (cintura escapular, nuca, ombros, pulsos…) e dos membros inferiores.

 A primeira sequência que vamos apresentar é bastante clássica. Ela prepara a postura do elefante através de encadeamentos em pé e de joelhos. Depois, as posturas deitadas sobre as costas favorecem a recuperação e têm em conta as necessidades de compensação. A prática termina com um prânâyâma com viloma ujjâyî.

 A segunda prática é mais árdua no sentido em que ela compreende quatro posturas da mesma família, em apoio sobre as mãos e os pés (cão de cabeça para baixo, cão de cabeça para cima, postura do sábio Vasishtha e duas vezes a postura do elefante).

Por Frans Moors

 PRÂNÂYÂMA

 Uma iniciação aos exercícios respiratórios começa pelos fundamentos técnicos, depois exercícios simples favorecem o relaxamento e a concentração. As técnicas mais elaboradas vêm a seguir. Quando existem maus hábitos, por vezes é preciso recomeçar pelo princípio. A escolha da posição sentada é um elemento de importância primordial neste contexto.

 Por Claude Maréchal, com a colaboração de Sylviane Gianina

 EKA-TATTVA – A IMPORTÂNCIA DA ASSIDUIDADE

 Pouco importa o veículo, o que conta é viajar.

 Por François Lorin

 YOGA-SÛTRA I.50

 O yogin, depois de ter dominado o “mais alto estado de absorção no objeto”, adquire formas de pensamento e de funcionamento (samskâra) de serenidade que, pouco a pouco, substituem os modos de funcionamento vulgares.

 Comentários pelo Professor T. Krishnamacharya; apresentação e explicações: T.K.V. Desikachar 

 

Viniyoga Lusófono nº 31 € 4.00

(39 páginas)

PÛRNA MATSYENDRÂSANA

 Pûrna matsyendrâsana é uma postura de exceção pelas suas qualidades específicas, pelos seus efeitos e pela dificuldade que a sua realização apresenta.

 Por Claude Maréchal

 SEQUÊNCIA PRÁTICA: PÛRNA MATSYENDRÂSANA

Três sequências práticas com ardha-matsyendrâsana. 

 Por Claude Maréchal e Frans Moors

 KUMBHAKA, AS RETENÇÕES RESPIRATÓRIAS

 A prática regular de exercícios respiratórios constitui um dos meios propostos por Patanjali para clarificar a mente. O uso de restrições respiratórias é uma das componentes essenciais da prática de âsana e prânâyâma.

 Por Frans Moors

 A ARTE DO YOGA OU COMO LIBERTAR A ENERGIA

 Como podemos pensar na energia no contexto da prática e do estudo do yoga e qual a sua aplicação nos diferentes domínios da vida?

 Por François Lorin

 YOGA-SÛTRA I.48 e I.49

 O aforismo I.48 é fundamental: ele afirma veementemente que a mais alta forma de samâdhi com objeto/suporte dá um conhecimento incomparável e irrefutável que em si é portador da Verdade.

 Este conhecimento não depende de uma aprendizagem, nem mesmo de uma reflexão, por mais séria que ela seja.

 Este conhecimento é transcendente, porque é relativo ao “objeto mais precioso”. Ele é a poderosa expressão de uma experiência vivida e perfeitamente assimilada.

 Comentários pelo Professor Shri T. Krishnamacharya; apresentação e explicações: T.K.V. Desikachar 

 

Viniyoga Lusófono nº 30 € 4.00

(40 páginas) 

ARDHA MATSYENDRÂSANA

 Ardha matsyendrâsana é uma postura sentada com uma intensa torção vertebral. Ela é representada por duas posições fundamentais e um grande número de variações. Todas são simplificações da postura completa, pûrna matsyendrâsana.

 Ardha matsyendrâsana é corretiva, interiorizante e estimula fortemente o fogo digestivo. Podem ser utilizadas adaptações simplificadas para fins terapêuticos.

 Por Claude Maréchal

UM CORPO SÃO E UM ESPÍRITO SÃO

 Muitas dúvidas persistem a respeito da filosofia, da prática e do valor do yoga, ainda que tenha sido feito um esforço nesta direção por livros, artigos e a televisão. O Krishnamacharya Yoga Mandiram, em Madrasta, contribuiu largamente para a compreensão correta do yoga, insistindo sobre as necessidades de cada pessoa. Continuamos a apresentar aqui a aproximação característica que o K.Y.M. tem a propósito do yoga.

Por T.K.V. Desikachar

 CORPO ESPÍRITO SAÚDE: O SISTEMA NERVOSO

 O sistema nervoso é provavelmente o sistema mais complexo do organismo; ele é o suporte da nossa vida consciente e automática.

 Este artigo propõe uma descrição simplificada da estrutura deste sistema, assim como das bases do seu funcionamento.

 Por Laurence Maman

YOGA: FUSÃO, CONFUSÃO E DISCERNIMENTO

 Perceber o que está mal e perceber que isso está ligado ao ego permite orientar corretamente o estudo e a prática do yoga. Mas se não o percebemos à partida, tudo será distorcido.

 Por François Laurin

YOGA E CONHECIMENTO DE SI

 Esta reflexão, na forma de testemunho, mostra que o yoga é bastante mais do que um simples sistema de flexibilização e relaxamento.

 Por Gilberte Procureur

O YOGA NA VIDA

 O Doutor Emílio Serrano, psiquiatra espanhol, encontrou o Professor Krishnamacharya pela primeira vez e mostrou-se muito impressionado pelo seu humor e serenidade. Também pelo seu desapego e a maneira leve como o Professor lhe declarou, na sua última entrevista, que ele não estaria mais disponível (“not available”) para o receber no ano seguinte, em Julho de 1989.

 Note-se que, segundo a tradição, aconteceu de o Professor não responder a uma pergunta diretamente, mas só depois de várias voltas à questão, ou mesmo de vários dias.

Entrevista a Shri T. Krishnamacharya pelo Dr. Emílio Serrano

YOGA-SÛTRA I.47

 Eis que o yogin chegou ao mais alto nível de samâdhi com objeto.

 Mas para que a luz espiritual apareça, é necessário que o objeto de meditação não tenha o mínimo defeito. Então o yogin descobre plenamente e enfim a sua natureza essencial.

Comentários pelo Professor Krishnamacharya; apresentação e explicações: T.K.V Desikachar 

 

Viniyoga Lusófono nº 29 € 4.00

(40 páginas)

PÛRVATÂNÂSANA

Classificada entre as posturas sentadas, pûrvatânâsana, o estiramento anterior, é por excelência a postura oposta a pashcimatânâsana. Por causa das suas caraterísticas intrínsecas, ela não é frequentemente utilizada como contra postura da célebre flexão à frente – pashcimatânâsana.

Postura poderosa, com efeitos importantes, sobretudo sobre a parte de cima do corpo, pûrvatânâsana é interessante, mas de utilização delicada.

Por Claude Maréchal

 SEQUÊNCIA PRÁTICA: PÛRVATÂNÂSANA

 A primeira destas sequências já integra a prática de pûrvatânâsana. Além disso, ela serve de preparação para a segunda.

A segunda propõe pûrvatânâsana em dinâmica e em estática, com uma progressão gradual para a fase estática.

Considerando a intensidade desta postura, nenhuma destas duas sequências é completamente desprovida de riscos.

 Por Claude Maréchal

 DIETÉTICA EM CASO DE PROBLEMAS PATOLÓGICOS CORRENTES E BENIGNOS

 Este artigo sobre dietética é abordado sob um ângulo particular: a modulação das aproximações alimentares em função das particularidades do estado de saúde.

 Pela Dr.ª Andrée Maman

NÃO HÁ UMA RECEITA COMUM PARA TODOS

 Por T.K.V. Desikachar

 YOGA-SÛTRA (I.45 e I.46)

 yogin chegou ao mais alto nível de samâdhi com e sem objeto. A sua mente está perfeitamente pura, completamente dominada; consequentemente, a sua compreensão não tem limite.

Comentários pelo Professor T. Krishnamacharya; apresentação e explicações: T.K.V. Desikachar

 

Viniyoga Lusófono nº 28 € 4.00

(40 páginas)

PRASÂRITA PÂDA-UTTÂNÂSANA

 Prasârita pâda-uttânâsana é uma postura em pé com uma grande flexão à frente e pés bastante afastados; ela apresenta efeitos benéficos importantes e variados.

 Realizá-la corretamente em estática é difícil, ou mesmo perigoso. É preciso prepará-la e compensá-la bem e utilizá-la com discernimento.

 Por Claude Maréchal

SEQUÊNCIA PRÁTICA: PRASÂRITA PÂDA-UTTÂNÂSANA

 Prasârita pâda-uttânâsana é uma postura cuja realização é bastante delicada. A maior parte das vezes, ela requer uma preparação cuidadosa e compensações bem ajustadas.

 Esta sequência propõe um exemplo com uma progressão gradual (vinyâsa krama) com três níveis.

 Por Claude Maréchal

O ÓTIMO É INIMIGO DO BOM?

 Praticar uma postura perfeitamente é uma coisa, compreender ao que ela nos conduz é outra coisa bem diferente!

 Por T.K.V. Desikachar

MOKSHA – A LIBERDADE

 Ao longo das nossas revistas tratámos de ideias fundamentais herdadas da Índia. Vimos a noção de dharma e adharma, sâdhana e siddhi. No seguimento, hoje abordamos o conceito de liberdade.

 Por François Laurin

YOGA-SÛTRA – Y.S.I.44

 A purificação da mente que se operou em relação aos “objetos grosseiros” vai agir da mesma maneira em relação aos “objetos subtis” para, graças a este processo, levar ao mais alto samâdhi com objeto.

 Comentários pelo Professor Shri T. Krishnamacharya; apresentação e explicações: T.K.V. Desikachar

A PROPÓSITO DOS CAKRA

 Praticamente nenhum aspeto do yoga foi objeto de tantos mal-entendidos como os cakra. 

 Imogen Dalmann e Martin Soder, médicos e responsáveis pela revista alemã “Viveka” interrogaram Desikachar sobre o conceito dos cakra no yoga e juntaram as respostas na forma de um artigo.

 Por T.K.V. Desikachar 

 

Viniyoga Lusófono nº 27 € 4.00

(39 páginas)

ARDHA-UTKATÂSANA

Trata-se de uma postura em pé, simétrica, com as costas direitas e os membros inferiores em meia flexão. Esta posição solicita intensamente os músculos das coxas e igualmente do alto do tronco. É utilizada para reforçar, tonificar e estimular; no entanto, contém riscos.

Por Claude Maréchal

SEQUÊNCIA PRÁTICA ARDHA-UTKATÂSANA 

 Nesta sequência prática ardha-utkatâsana é preparada por outras posturas em pé; depois é compensada por um trabalho deitado e de gatas e finalmente termina com um prânâyâma.

Propõe-se uma progressão gradual (vinyâsa-krama) de forma a dominar a postura por etapas.

 Por Claude Maréchal

REMÉDIOS PARA AS DORES NAS COSTAS

As dores nas costas não conhecem fronteiras: é uma das afeções mais disseminadas nos cinco continentes. Exercício, e mais particularmente os exercícios de yoga, podem ter um papel muito importante tanto na prevenção como no tratamento.

 Por T.K.V. Desikachar

YOGA & CARDIOLOGIA

Quarta e última parte

 Por Éliane Drouant

A ÉTICA DO YOGA (II)

Entre as diferentes vias de acesso ao yoga, o yoga integral (Patanjala-darshana) descreve de forma precisa qual deve ser o comportamento daquele que se empenha no caminho da realização. O artigo precedente desenvolveu a ideia de yama (relação com os outros); este apresenta os niyama (regras pessoais). 

DIÁLOGOS

Perguntas a Desikachar - Tema: Yoga e Budismo

 Por T.K.V. Desikachar

YOGA-SÛTRA I.43

O aspirante agora adquiriu um nível de clareza suplementar: tendo libertado a sua memória dos últimos elementos que a atrapalhavam e graças à ajuda de um guia competente, ei-lo capaz de se imergir completamente no seu objeto de meditação, até à fusão total. 

Então, fica apenas o objeto…

 Comentários pelo Professor T. Krishnamacharya; apresentação e explicações: T.K.V. Desikachar

OLHAR SOBRE O VINIYOGA

 Por Catherine Chiabaut 

 

Viniyoga Lusófono nº 26 € 4.00

(39 páginas)

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE VINIYOGA FEZ 8 ANOS…

… comemorados na praia da Costa Nova!

Por Cristina Donato

TÂDÂSANA

Tâdâsana é uma postura de pé em equilíbrio sobre as pontas dos dedos; é geralmente utilizada no começo de uma sessão de âsana.

Por Claude Maréchal

SEQUÊNCIA PRÁTICA: TÂDÂSANA

Esta sequência prática comporta duas aplicações de tâdâsana. Ela começa em pé e termina também em pé.

Por Claude Maréchal

YOGA E CARDIOLOGIA (3)

Este terceiro artigo mergulha-nos na patologia cardíaca propriamente dita: patologias das artérias coronárias, angina de peito, infarto do miocárdio…

Consagramos também um lugar importante à hipertensão arterial e alguns outros problemas, assim como ao seu tratamento.

Por Eliane Drouant

A ÉTICA DO YOGA

De todos os aspetos dos ensinamentos do yoga, aquele que diz respeito à ética social e à ética individual é talvez o mais importante.

As prescrições são claras mas a via de acesso ou o modo de emprego parecem estar ausentes.

O exemplo vivo já não é abundante. Então, como pode o estudante de yoga abordar concretamente as dez recomendações dos yama niyama na sua existência cotidiana?

Por François Laurin

UM PROBLEMA DE PESO

O Ayurveda diz que o obeso não deve entrar em festanças, mas também não se pode permitir jejuar. Acrescentar a isto uma grande carga de exercícios complica ainda mais a situação.

Por T.K.V. Desikachar

YOGA-SÛTRA I.42

Chegado a este grau de perfeição, o mental é capaz de se concentrar sobre o objeto de meditação sem distrações, nem interrupções. No entanto, a experiência ainda não é perfeita porque o mental ainda está sujeito a certas distorções…

Comentários pelo Professor Shri T. Krishnamacharya; apresentação e explicações: T. K. V. Desikachar  

 

Viniyoga Lusófono nº 25 € 4.00

(40 páginas)

UTTHITA-PARSHVA-KONÂSANA

Trata-se de uma postura em pé, assimétrica, com inclinação lateral do tronco para o lado do membro inferior fletido. Esta postura exige força e flexibilidade. Constitui um excelente teste para o corpo; a maioria das vezes é utilizada no final da série de posturas em pé.

Por Claude Maréchal 

SEQUÊNCIA PRÁTICA: UTTHITA PÂRSHVA KONÂSANA

Nas três práticas que propomos aqui, utthita pârshva konâsana encontra-se em sítios diferentes.

Em cada uma delas, a postura é utilizada com um objetivo particular.

Só a variante com os pés virados foi usada devido à maior facilidade na sua execução (ver ficha técnica).

Por Claude Maréchal

RESPEITAR O SINAL AMARELO

O mental dirige o corpo. Mas, se o mental apresenta resistências, o resultado pode ser desastroso.

Por T.K.V. Desikachar

YOGA E CARDIOLOGIA (2)

Depois de ter apresentado alguns aspetos do “coração segundo o ponto de vista do yoga”, entramos agora na descrição do coração segundo a fisiologia ocidental.

Por Eliane Drouant

“INFLUÊNCIAS” ASTRAIS OU “RELAÇÕES” CÓSMICAS?

Provavelmente existem relações precisas de causalidade entre os astros e nós. Mas isso não seria explicar tudo. A astrologia indiana propõe uma opção metafísica: compreender a vontade dissimulada por trás das leis que governam, ou parecem governar, a infinita sucessão de fenómenos.

Por Jean Dethier

YOGA-SÛTRA I.41

Tendo reduzido os sintomas da agitação do mental através de um dos numerosos meios citados na secção sobre os “eka-tattva” (YSI.31 a 39), o yogi adquire a possibilidade de se concentrar sobre qualquer objeto à sua escolha (I.40)

Aqui, Patanjali dá uma definição geral de samâdhi. É um estado envolvendo o yogin, o seu mental e os seus sentidos, que se fundem completamente no objeto de concentração.

Comentários pelo Professor T. Krishnamacharya; apresentação e explicações: T.K.V. Desikachar 

 

Viniyoga Lusófono nº 24 € 4.00

(40 páginas)

 A ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE VINIYOGA FEZ 7 ANOS…

… comemorados na Mata do Buçaco!

Por Cristina Donato

ARDHA UTTÂNÂSANA

Ardha uttânâsana é uma postura em pé, simétrica, com o tronco em meia flexão e as costas arcadas. Ela confere flexibilidade e força. É utilizada principalmente em preparações, mas pode no entanto ser a postura principal de uma sequência.

Por Claude Maréchal

SEQUÊNCIA PRÁTICA

Esta sequência (se não a alterarmos) destina-se a praticantes bem treinados; tal como já fizemos para outras posturas, também previmos a possibilidade de preparação em várias etapas.

O cumprimento desta aproximação progressiva deveria conduzir a um resultado duplo: a flexibilização das diferentes partes do corpo associada a um reforço geral do tónus muscular, sobretudo das costas. A capacidade de resistência também deverá aumentar.

Por Claude Maréchal

O ENSINO DO YOGA ÀS CRIANÇAS

Um artigo à escuta da criança e do que é a educação recíproca e a exploração coletiva, expressão verbal e expressão escrita.

As atitudes, angústias e sonhos da criança; as infinitas possibilidades dos meios do yoga para contribuir para o desenvolvimento da infância e da adolescência.

Por Marie-Claire Dumont

YOGA E CARDIOLOGIA

A série de artigos que começa aqui é o extrato de uma tese de fim de formação no IERY. O interesse particular deste trabalho reside no facto de que ele não foi realizado por um médico, mas por uma “doente cardíaca” e professora de yoga.

Nesta primeira parte a autora fala-nos do “coração simbólico e esotérico”, segundo o yoga. Depois, ela apresenta-nos o coração físico e as suas patologias mais importantes.

Por Éliane Drouant

PRIMEIROS PASSOS

A experiência de um praticante de yoga: o que o yoga lhe proporcionou e como mudou a sua vida.

Por Jean Hoyberghs

A IMPORTÂNCIA DAS FIBRAS ALIMENTARES NA SAÚDE

Desde há um século o pão integral, outros cereais integrais e mesmo os legumes verdes caíram a favor do lucro da carne e dos cereais refinados.

Este artigo bem documentado atrai a nossa atenção sobre o que perdemos – em termos de saúde – ao diminuir assim a nossa ração de fibras alimentares.

Como a autora o relembra, este fator não é o único, mas merece toda a nossa atenção.

Por Yvonne Langlois

YOGA-SÛTRA I.40

Este aforismo faz-nos entrar numa nova secção do Yoga-Sûtra.

Agora que o mental está claro e calmo, ele pode perceber tudo: do objeto mais aparente ao mais escondido, do mais concreto ao mais abstrato, do mais evidente ao mais subtil…

Ele atingiu um nível muito alto de perfeição que Patanjali vai descrever até ao fim do primeiro capítulo.

Comentários pelo Professor Shri T. Krishnamacharya; apresentação e explicações: T.K.V. Desikachar

 

Viniyoga Lusófono nº 23 € 4.00

(46 páginas)

 O JOVEM E O RAJÁ

Escrito pouco tempo antes do centenário de T. Krishnamacharya, este texto dá-nos informações insubstituíveis sobre a vida do Mestre e sobre as condições nas quais se desenvolveram os estudos de cerca de um século.

No vasto continente indiano, sob a tutela britânica, perpetuava-se contudo a transmissão do saber antigo de forma mais tradicional possível.

Por Hastam

O CAMINHO DO YOGA

Respeito ao Mestre, meditação devocional, prática e desapego para controlar o psiquismo constituem para o Professor, os fundamentos do yoga.

Segundo ele, em relação ao caminho espiritual, o contexto do Oriente não é mais favorável que o do Ocidente.

Entrevista a Shri T. Krishnamacharya por Claude Maréchal

DIA DA ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE VINIYOGA

Por Cristina Donato (Presidente da APV)

OS ÓRGÃOS DOS SENTIDOS

Ao considerar-se os textos e os ensinamentos do yoga sob o ângulo do funcionamento sensorial, constata-se a importância atribuída ao papel dos sentidos.

Dos cinco sentidos «de perceção» comummente distintos, fixamo-nos, sobretudo, nos que dominam a nossa época: os sentidos cutâneos e viscerais, a visão e audição.

Por Laurence Maman

SIDDHI

Depois de ter exposto a noção de ordem e desordem no pensamento da índia (dharma e adharma), viniyoga aborda desta vez o conceito de «realização» (siddhi).

Por François Laurin

UTKATÂSANA

Utkatâsana é uma postura em pé, simétrica, em grande flexão dos membros inferiores que reforça e dá leveza a todo o corpo. É igualmente usada de forma dinâmica e modificada como contra postura para um grande número de posições em pé.

Por Claude Maréchal

SEQUÊNCIA PRÁTICA

Esta sequência apresenta uma preparação bastante vigorosa destinada a aquecer bem toda a musculatura e as articulações implicadas, numa progressão gradual de utkatâsana ao longo de várias semanas e uma longa fase descendente que comporta as compensações sob forma de um trabalho vertebral de descontração e leveza.

Por Claude Maréchal

YOGA-SÛTRA I.39

Com este aforismo sobre a meditação, Patanjali termina a série de «meios à escolha para restabelecer a estabilidade do espírito».

Como se trata de dhyâna, a meditação, que tem um papel importante no ensino e na prática do yoga, o comentário e as explicações dão-nos mais uma vez uma luz particular sobre o assunto.

Comentários: Professor Shri T. Krishnamacharya; apresentação e explicações: T.K.V. Desikachar

 

Viniyoga Lusófono nº 22 € 4.00

 (39 páginas)

ENSAIO       

Samtosha – o contentamento

Por Maryvonne

SÂDHANA – A CONCENTRAÇÃO

 O autor apresenta-nos a ideia de sâdhana tendo como referência dois textos fundamentais: o Yoga-Sûtra de Patanjali e a Bhagavad-Gîtâ de Vyâsa.

Por François Lorin

A RESPIRAÇÃO                                                           

A mecânica ventilatória ligada à postura e ao movimento

Por Laurence Maman

YOGA-SÛTRA I.38

Patanjali sugere-nos que nos debrucemos sobre o sono e sobre os sonhos (Y.S.I-38).

Comentários pelo Professor Shri T. Krishnamacharya; apresentação e explicações: T.K.V. Desikachar

DHANURÂSANA E ARDHA-DHANURÂSANA                                                                                                   

A postura do arco é uma postura de flexão para trás que atrai numerosos praticantes. Para ser dominada, necessita de um corpo flexível e sólido. A sua ação é muito estimulante, nomeadamente no plano digestivo. Ela apresenta numerosas aplicações mas tem riscos.

Por Claude Maréchal

SEQUÊNCIA PRÁTICA         

À volta de um mesmo conceito postural, dhanurâsana, apresentamos duas sequências com contexto e objetivos diferentes.

Na prática 1, globalmente bastante intensa, propõe-se um encadeamento com a meia-postura do «arco» combinado com o «meio-gafanhoto» como trabalho principal, com uma possibilidade de progressão na aplicação (vinyâsa-krama).

Na prática 2, a postura completa é apresentada como exercício central, com um vinyâsa-krama na «estática» e na «dinâmica».

Por Claude Maréchal 

 

Viniyoga Lusófono nº 21 € 4.00

 (36 páginas)

 DHARMA E ADHARMA - ORDEM E DESORDEM NO PENSAMENTO INDIANO

O ser humano sempre esteve confrontado com a desordem – tanto exterior como interior – e procurou muitas vezes a ordem, por meios algumas vezes discutíveis. Aqui propomos uma reflexão sobre estas noções.

Por François Lorin

COMO O MEU PAI SE TORNOU O MEU MESTRE

A educação pelo exemplo: transmitimos mais o que somos, do que o que sabemos.

Por T.K.V. Desikachar

A RESPIRAÇÃO

Viniyoga termina a descrição do aparelho respiratório, focalizando-se sobre os alvéolos, o local de trocas entre o ar e o sangue.

Por Laurence Maman

NÂVÂSANA

Nâvâsana, a postura da «barca», posição sentada em equilíbrio sobre as nádegas, reforça os músculos da cintura abdominal.

Numerosas modificações diminuem a intensidade do esforço muscular, tornando o exercício acessível a todos.

Por Bernard Bouanchaud

SEQUÊNCIA PRÁTICA

Nâvâsana necessita de uma preparação que aqueça o corpo, dirigida para a musculatura em questão. Impõe-se uma abordagem gradual para a postura propriamente dita. Quanto às compensações, elas serão praticadas com muita atenção e consagrando-lhes o tempo necessário.

Por Claude Maréchal

YOGA-SÛTRA I.37

Patanjali desta vez apresenta-nos um método, ainda muito popular na Índia: recordar um encontro com um sábio, ou restabelecer o contacto com um objeto ou uma obra sagrada, ou relembrar uma visita a um lugar sagrado, reduz a agitação do mental.

Comentários pelo Professor Shri T. Krishnamacharya; apresentação e explicações T. K. V. Desikachar

A LENDA DE PATANJALI E A ESTRUTURA DO YOGA-SÛTRA

Uma vez que o pensamento da Índia está indissociavelmente ligado aos comentários em sânscrito, escritos no seguimento do Yoga-Sûtra, pareceu interessante apresentar as obras que, segundo a tradição indiana, se foram revelando progressivamente mais marcantes.

Por Philippe Geenens